Mato Grosso

Em 25 anos, Brasil registrou quase 300 mil mortes violentas sem causa definida

Published

on


Em 25 anos, o Brasil registrou quase 300 mil mortes violentas em que a causa não foi definida. O número representa 8,7% dos 3,3 milhões de homicídios dessa natureza ocorridos no país no mesmo período. Os cálculos são do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

“Este número equivale à média anual de homicídios ocorridos no estado de São Paulo, ou à queda, sem sobreviventes, de 33 Boeings 737 lotados por ano, em tragédias totalmente invisibilizadas cuja causa não foi determinada pelo Estado”, destaca Daniel Cerqueira, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea.

O estudo tem como base o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde. E teve como recorte o período entre 1996 e 2021.

“O SIM representa a única fonte de informações confiável sobre mortalidade […] No entanto, existem lacunas no preenchimento das características dos óbitos e incapacidade de identificação das intencionalidades dos óbitos”, diz a pesquisa.

Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais ocupam os primeiros lugares na lista de mortes violentas por causa indeterminada. Essas unidades da federação são responsáveis por 72,5% de todos os homicídios ocultos no Brasil.

Por outro lado, os estados que conseguiram reduzir as taxas de homicídios desta natureza, ao longo do período analisado, foram Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Goiás e Rio Grande do Sul.

“Esse novo retrato da criminalidade violenta produz efeitos em diagnósticos e avaliações de políticas de segurança”, afirma o estudo.

Uma questão abordada e ainda sem resposta diz respeito ao número de homicídios não registrados no país quando não se tem sequer uma declaração de óbito – como em inúmeros casos revelados no Rio de Janeiro, onde, segundo o levantamento, milicianos “somem” com os corpos de suas vítimas.

“Em particular, devemos notar que, em 2019, somente após contabilizar os homicídios ocultos, o Rio de Janeiro aparece entre as dez unidades da federação mais violentas”. Nesse ano, são identificados no Rio de Janeiro 2.480 homicídios ocultos, valor correspondente a 70% dos homicídios registrados.

Em quatro ocasiões, Roraima também aparece entre os estados mais violentos somente após a inclusão dos homicídios ocultos. “Esses achados evidenciam o imperativo de se incluírem os homicídios ocultos em investigações sobre criminalidade violenta”, completa o estudo.

Diante das constatações, os pesquisadores do Ipea sugerem melhorias no sistema de notificações do Ministério da Saúde.

“O método proposto, no entanto, não esgota todas as possibilidades de identificação de homicídios ocultos, e não deve ser entendido como substituto da necessidade de se aprimorar a qualidade das informações do sistema do Ministério da Saúde”, finaliza o texto.



Mato Grosso

Em estreia de Thiago Silva, Fluminense vence o Cuiabá e deixa a lanterna do Brasileiro

Published

on


Após três meses, o Fluminense, enfim, voltou a vencer pelo Brasileiro e respira na briga contra a degola. Neste domingo, o Tricolor venceu o Cuiabá por 1 a 0, na Arena Pantanal, pela 18ª rodada da competição.

A última vitória da equipe carioca, no Brasileiro, foi no dia 20 de abril, no clássico contra o Vasco. De lá para cá, foram 13 jogos, com quatro empates e nove derrotas.

O importante resultado veio no dia em que a equipe celebra 122 anos de história. A estreia do zagueiro Thiago Silva também foi o destaque do Fluminense no duelo.

O gol do triunfo do Flu foi marcado pelo jovem Kauã Elias, na segunda etapa do confronto. Com o resultado, o Fluminense chega a 11 pontos e pula para 19º lugar, deixando a lanterna com o Atlético-GO, que tem os mesmos pontos, mas perde no saldo de gols.

O Cuiabá é a primeira equipe fora da zona do rebaixamento. A equipe do Mato Grosso ocupa a 16ª posição com 17 pontos.

Thiago Silva pelo Fluminense
Thiago Silva volta a vestir a camisa do Fluminense / Brasileirão Betano/Twitter

Próximos jogos

Fechando o primeiro turno do Brasileiro, o Fluminense recebe o Palmeiras no Maracanã, na proxima quarta-feira (24), às 21h30.

O Cuiabá tem compromisso pela Sul-Americana, na quinta (25), às 19h, em casa contra o Palestino (CHI). Pelo Brasileiro, o próximo duelo é no domingo (28), às 19h contra o Athletico-PR na Arena Pantanal.

Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas



Continue Reading

Mato Grosso

Bombeiros de MT continuam combate a quatro incêndios florestais no Estado neste domingo (21)

Published

on


O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso segue no combate a quatro incêndios florestais no Estado neste domingo (21.07).

Em Barão de Melgaço, militares combatem um incêndio às margens do rio Cuiabá, próximo à divisa com Poconé.

Em Cáceres são dois incêndios ativos, sendo um no Parque Estadual do Guirá e outro na região de Porto Conceição. No Guirá, a estratégia utilizada é o encharcamento dos focos ativos nas turfas com água; enquanto em Porto Conceição os militares estão divididos ao longo do Rio Paraguai fazendo combate direto e construção de aceiros para evitar a propagação das chamas.

Já ao sul do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense (Parna Pantanal) há um incêndio próximo à Fazenda Bélica, que faz divisa com Mato Grosso do Sul. Atuam equipes do Corpo de Bombeiros e brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Os brigadistas do ICMBio também combatem um incêndio dentro do Parna Pantanal, próximo a divisa com a Reserva Particular do Patrimônio Natural Estância Dorochê. O Corpo de Bombeiros monitora o incêndio via satélite.

Por fim, neste domingo, não há focos de calor detectados pelos satélites nas regiões de mineradoras em Nova Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade. As regiões seguem em monitoramento pela corporação.

Estrutura

Somente no Pantanal atuam 38 bombeiros, oito funcionários da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), seis militares do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), cinco membros da Defesa Civil do Estado e um integrante do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

Este efetivo conta com o apoio de um avião, um helicóptero, onze viaturas, nove máquinas para a construção de aceiros, quatro caminhões auto tanque e três embarcações.

Além disso, também participam das ações brigadistas do ICMBio e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e integrantes do Exército Brasileiro, Força Nacional, Marinha do Brasil e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) faz o monitoramento de todos os incêndios florestais do Estado, via satélite, para orientar as equipes em campo.

A estiagem severa e a baixa umidade do ar têm contribuído para a propagação das chamas e o Corpo de Bombeiros pede que a população colabore e respeite o período proibitivo. A qualquer indício de incêndio, os bombeiros orientam que a denúncia seja feita pelos números 193 ou 190.

Incêndios extintos

O Corpo de Bombeiros já extinguiu oito incêndios florestais em Mato Grosso: quatro em Cuiabá, três em Chapada dos Guimarães e um em Poconé.

Focos de calor

Em Mato Grosso, foram registrados 146 focos de calor entre sábado (20.07) e domingo, conforme última checagem, às 16h15, no Programa BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Desses, 81 se concentram na Amazônia, 62 no Cerrado e três no Pantanal. Os dados são do Satélite de Referência (Aqua Tarde).

Importante ressaltar que o foco de calor isolado não representa um incêndio florestal. Entretanto, um incêndio florestal conta com o acúmulo de focos de calor.

Fonte: Governo MT – MT





Continue Reading

Mato Grosso

Bombeiros de MT continuam combate de quatro incêndios florestais no Estado neste domingo (21)

Published

on


O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso segue no combate de quatro incêndios florestais no Estado neste domingo (21.07).

Em Barão de Melgaço, militares combatem um incêndio às margens do rio Cuiabá, próximo à divisa com Poconé.

Em Cáceres são dois incêndios ativos, sendo um no Parque Estadual do Guirá e outro na região de Porto Conceição. No Guirá, a estratégia utilizada é o encharcamento dos focos ativos nas turfas com água; enquanto em Porto Conceição os militares estão divididos ao longo do Rio Paraguai fazendo combate direto e construção de aceiros para evitar a propagação das chamas.

Já ao sul do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense (Parna Pantanal) há um incêndio próximo à Fazenda Bélica, que faz divisa com Mato Grosso do Sul. Atuam equipes do Corpo de Bombeiros e brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Os brigadistas do ICMBio também combatem um incêndio dentro do Parna Pantanal, próximo a divisa com a Reserva Particular do Patrimônio Natural Estância Dorochê. O Corpo de Bombeiros monitora o incêndio via satélite.

Por fim, neste domingo, não há focos de calor detectados pelos satélites nas regiões de mineradoras em Nova Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade. As regiões seguem em monitoramento pela corporação.

Estrutura

Somente no Pantanal atuam 38 bombeiros, oito funcionários da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), seis militares do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), cinco membros da Defesa Civil do Estado e um integrante do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

Este efetivo conta com o apoio de um avião, um helicóptero, onze viaturas, nove máquinas para a construção de aceiros, quatro caminhões auto tanque e três embarcações.

Além disso, também participam das ações brigadistas do ICMBio e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e integrantes do Exército Brasileiro, Força Nacional, Marinha do Brasil e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) faz o monitoramento de todos os incêndios florestais do Estado, via satélite, para orientar as equipes em campo.

A estiagem severa e a baixa umidade do ar têm contribuído para a propagação das chamas e o Corpo de Bombeiros pede que a população colabore e respeite o período proibitivo. A qualquer indício de incêndio, os bombeiros orientam que a denúncia seja feita pelos números 193 ou 190.

Incêndios extintos

O Corpo de Bombeiros já extinguiu oito incêndios florestais em Mato Grosso: quatro em Cuiabá, três em Chapada dos Guimarães e um em Poconé.

Focos de calor

Em Mato Grosso, foram registrados 146 focos de calor entre sábado (20.07) e domingo, conforme última checagem, às 16h15, no Programa BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Desses, 81 se concentram na Amazônia, 62 no Cerrado e três no Pantanal. Os dados são do Satélite de Referência (Aqua Tarde).

Importante ressaltar que o foco de calor isolado não representa um incêndio florestal. Entretanto, um incêndio florestal conta com o acúmulo de focos de calor.

Fonte: Governo MT – MT





Continue Reading

As mais lidas da semana