VARIEDADES

WME Awards by Music2! 2022 divulga as indicadas em 17 categorias

Published

on

O WME Awards by Music2! 2022 anunciou as indicadas às 17 categorias do prêmio. O prêmio, que é totalmente dedicado às mulheres do Universo Musical, acontecerá no dia 21 de dezembro, em São Paulo. A premiação homenageará Margareth Menezes e Elza Soares

O prêmio, que se consolida como um dos maiores eventos da música brasileira, terá 17 categorias, para as quais foram indicados 85 nomes. Entre voto popular e júri técnico, destaca-se a cantora Luísa Sonza, que levou três indicações. O anúncio das indicadas foi transmitido ao vivo na noite de terça-feira (11 de outubro), em uma live apresentada por Pepita e Letticia Munniz (assista aqui).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1

0

A cantora Margareth Menezes será uma das homenageadas da noite. A artista, que afirma e dá voz ao afro-urbano nacional, é considerada a principal representante do afropop brasileiro. Em 35 anos de trabalho, foram 17 obras lançadas, entre LPs, CDs e DVDs, e 23 turnês internacionais. 

Conforme a dinâmica tradicional do evento, que a cada ano homenageia uma artista de forma póstuma, Elza Soares também terá o seu legado artístico após mais de 60 anos de carreira celebrado na sexta edição do WME. A cantora, que faleceu em janeiro deste ano, receberá uma homenagem para que seu nome seja lembrado e comemorado por todos.

Conheça as categorias e as indicadas ao WME Awards by Music2! 2022

1 – Radialista:
Patrícia Palumbo
Marília Feix
Gabriele Alves
Paula Lima
Nega Gizza

2 – Profissional do Ano:
Cristina Falcão
Leila Oliveira
Daniela Ribas
Ana Paula Paulino
Mônica Brandão

3 – Produtora Musical:
Badsista
Larinhx
Neila Khadí
Saskia
Vivian Kuczynski

4 – Jornalista Musical:
Adriana Barros
Didi Couto
Julia Reis
Kamille Viola
Laísa Naiane

5 – Diretora de Videoclipe:
Belle de Mello
Juh Almeida
Lu Villaça
Manu Gavassi
Maria Mang

6 – Instrumentista:
Alana Gabriela
Badi Assad
Be.atrz
Juliana D’Ágostini
Michele Cordeiro

7 – Show:
Kaê Guajajara
Juliette
Luedji Luna
Luísa Sonza
Majur

8 – Empreendedora Musical:
Aíla
Bete Dezembro
Bia Nogueira
Carol de Amar
Ivanna Tolotti

9 – Compositora:
Brisa Flow
Budah
Carol Biazin
Elana Dara
Lari Ferreira

10 – Música Mainstream:
Ana Castela, Melody e DJ Chris no Beat – Pipoco
Iza – Fé
Ludmilla – Maldivas
Mari Fernandez – Parada Louca
Marília Mendonça e Maiara & Maraisa – Esqueça-me Se For Capaz

11 – DJ:
Heey Cat
Mary Olivetti
Miria Alves
Sophia
Valentina Luz

12 – Cantora:
Duda Beat
Juçara Marçal
Liniker
Luísa Sonza
Marina Sena

13 – Revelação:
Ana Castela
Bebé Salvego
Melly
Rachel Reis
Tasha & Tracie

14 – Videoclipe:
Iza – Fé
Luísa Sonza – Cachorrinhas
Negra Li – Era uma vez Liliane
Rebecca, Pocah, Lexa e Danny Bond – Barbie
Tássia Reis e Tulipa Ruiz – Dia Bom

15 – Música Latina:
Anitta – Envolver
Becky G – Bailé com Mi Ex
Karol G – Provenza
Rosalía – Despachá
Shakira e Rauw Alejandro – Te Felicito

16 – Música Alternativa:
Duda Beat – Dar uma Deitchada
Liniker – Atômico Platônico
Pitty, Drik Barbosa e WEKS – Diamante
Tasha & Tracie – Diretoria
Urias – Foi Mal

17 – Álbum:
Marina Sena – De Primeira
Ludmilla – Numanice 2
Lauana Prado – Raiz
Manu Gavassi – Gracinha
Gaby Amarantos – Purakê

Comentários

VARIEDADES

Polícia Militar do Rio analisa origem de 492 fuzis apreendidos em 2023

Published

on

Mais de 90% dos fuzis apreendidos no ano passado pela Polícia Militar do Rio de Janeiro foram fabricados em outros países. O maior número de apreensões ocorreu em áreas do estado onde há disputas de território entre facções criminosas rivais. As duas constatações fazem parte de um estudo da Subsecretaria de Inteligência (SSI)da Secretaria de Estado de Polícia Militar, que analisou a apreensão de 492 fuzis em 2023.

Um aspecto abordado no estudo da SSI diz respeito à marca dos fuzis apreendidos. Dos 492, 199 são da marca norte-americana Colt. Foram registrados no estudo 194 fuzis sem marca, ou seja, armas que entram no país ou no estado separadas por peças e montadas por armeiros envolvidos com as organizações criminosas. As demais armas apreendidas são de 43 marcas diversas, praticamente todas de países do Hemisfério Norte.  

O estudo da SSI mostra que as apreensões se concentraram com maior intensidade nas áreas integradas de segurança pública (AISPs) da zona oeste da capital e da Baixada Fluminense. Das dez AISPs com maior número de apreensões, oito estão situadas nessas regiões do estado. As únicas exceções são a AISP 3 (região do Méier e adjacências) e a AISP 16 (Olaria e adjacências). Das 492 apreensões de fuzis no ano passado, 377 foram registradas nessas dez regiões.

Ainda sob o aspecto geográfico, o estudo destaca a expansão do crime organizado para o interior do estado. Na região do 5º Comando de Policiamento (5º CPA), Sul Fluminense e Costa Verde, foram apreendidos 13 fuzis no ano passado. Já na região do 6º CPA, Norte e Noroeste do estado, ocorreram sete apreensões.

“Compartilhado com a Polícia Federal, o estudo indica que o tráfico internacional de armas representa um dos maiores desafios para a área de segurança pública do Rio de Janeiro, cuja solução depende de uma ação articulada entre as polícias do estado e as forças federais”, diz nota da Polícia Militar.

Via: Agência Brasil

Comentários
Continue Reading

VARIEDADES

Aliados de Bolsonaro fazem ato político no Rio de Janeiro

Published

on

Aliados do ex-presidente da República Jair Bolsonaro fizeram um ato público na orla da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (21). O próprio Bolsonaro usou suas redes sociais para convocar as pessoas para a manifestação.

Com várias falas que misturaram política e religião, os aliados do ex-presidente fizeram discursos em favor de Bolsonaro, do dono da rede social X (ex-Twitter), Elon Musk, e da liberdade de expressão, além de criticarem veículos de imprensa, o atual governo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e as investigações em relação à tentativa de golpe de Estado.

Ao falar em cima de um trio elétrico, Bolsonaro se disse vítima da “covardia” de um “sistema” que quer vê-lo “fora de combate em definitivo”. 

Bolsonaro é investigado em inquérito sobre a tentativa de golpe ocorrida no dia 8 de janeiro de 2022. Seu passaporte foi apreendido pela Polícia Federal (PF), em fevereiro, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, durante a operação Tempus Veritatis.

Segundo a investigação da PF, quando ainda era presidente da República, Jair Bolsonaro discutiu com militares uma minuta de golpe de Estado, em que previa prender Moraes, o também ministro do STF Gilmar Mendes e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Além disso, a minuta previa a realização de novas eleições presidenciais, usando, como justificativa, falsos indícios de fraudes nas urnas eletrônicas.

Para os manifestantes que estavam em Copacabana, o ex-presidente se defendeu de suposto envolvimento na elaboração da chamada minuta do golpe.

“Nunca jogamos fora das quatro linhas. Alguém já viu essa minuta de golpe? Quando se fala em estado de sítio, é uma proposta que o presidente, dentro de suas atribuições constitucionais, pode submeter ao parlamento brasileiro. O presidente não baixa decreto nenhum. Só baixa decreto depois que o parlamento der o sinal verde”, disse Bolsonaro neste domingo.

Bolsonaro também defendeu os manifestantes presos durante os atos de 8 de janeiro, quando centenas de pessoas invadiram e vandalizaram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele voltou a falar sobre o processo eleitoral. “Que nós possamos disputar as eleições sem qualquer suspeição. Afinal de contas, a alma da democracia é uma eleição limpa, onde ninguém pode sequer pensar em duvidar dela. Não estou duvidando das eleições, página virada. Até porque podemos ver, um dia, um time de futebol sem torcida ser campeão, mas pela primeira vez na história do Brasil, nós estamos vendo um presidente eleito, sem povo ao seu lado”.

Em junho do ano passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tornou Bolsonaro inelegível por oito anos, por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação, já que, em julho de 2022, durante a campanha eleitoral, o então candidato à reeleição convocou uma reunião com embaixadores para atacar o sistema eletrônico de votação, sem apresentar provas.

Em outubro do mesmo ano, Bolsonaro tornou-se inelegível pela segunda vez pelo TSE por abuso de poder político. Por maioria, os ministros consideraram que ele aproveitou as celebrações de 200 anos da independência do Brasil, em 7 de setembro de 2022, para seu benefício em sua campanha eleitoral pela reeleição.

Via: Agência Brasil

Comentários
Continue Reading

VARIEDADES

Mulheres sambistas lançam livro-disco infantil com protagonista negra

Published

on

Uma menina de 4 anos, chamada de Flor de Maria, que vive aventuras mágicas embaixo da mesa da roda de samba, e descobre um mundo cheio de cores, sons e sensações diferentes. Uma experiência que a conecta com uma expressão cultural e comunitária ancestral. Esse é o enredo do disco-livro É Pretinha, lançado nesta semana pela editora Rubra.

As autoras são Marina Iris e Manu da Cuíca, com ilustrações de Tétiiz e produção musical de Ana Costa. O objetivo das autoras era celebrar o samba e a infância. E, ao misturar livro e músicas, permitir que os leitores mergulhassem em um cenário mais vibrante e sensorial.

As músicas podem ser ouvidas no Spotify e YouTube gratuitamente.

Uma das autoras, Marina Iris, explica que se inspirou em ambientes comuns do subúrbio para criar a história de É Pretinha.

“Quando idealizei o É Pretinha, pensei em trazer para a literatura infantil o contexto de samba, subúrbio, quintal, família e ancestralidade. Queria que tudo estivesse presente de forma natural e poética, inspirada na infância cheia de abstração e poesia”, disse Marina Iris.

Outra autora, Manu da Cuíca, revela que a história traz elementos pessoais do passado e do presente.

“Contar uma história após me tornar mãe se tornou um rito de intimidade e carinho, onde entrelaço minha infância na da minha filha. Eu, Ana e Marina conversamos muito sobre essa dimensão das histórias antes de começarmos a criar”, disse Manu da Cuíca.

Via: Agência Brasil

Comentários
Continue Reading
Advertisement
Advertisement

SAÚDE

POLÍCIA

Advertisement

POLÍTICA

CIDADES

Advertisement

EDUCAÇÃO

ESPORTES

Advertisement

MATO GROSSO

ECONOMIA

Advertisement

GERAL

As mais quente