Judiciario

MPE acusa 17 PMs de armarem emboscadas para execuções

Published

on


O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou 17 policiais militares e um segurança particular pelo crime de homicídio contra Mayk Sanchez Sabino e tentativas de homicídio contra Rômulo Silva Santos e mais duas pessoas não identificadas.

 

A denúncia é proveniente da Operação Simulacrum, deflagrada pela Polícia Civil em 2022, e que levou à prisão 63 militares e um civil suspeitos de forjarem confrontos para cometerem execuções.

 

Segundo as investigações, o grupo teria atuado na morte de 23 pessoas, em Cuiabá e Várzea Grande, além da tentativa de homicídio de, pelo menos, outras quatro.

 

A denúncia é assinada pelos promotores de Justiça Vinicius Gahyva Martins, Marcelle Rodrigues da Costa e Faria, Samuel Frungilo, Jorge Paulo Damante Pereira e César Danilo Ribeiro de Novais.

 

Foram denunciados os policias militares Altamiro Lopes da Silva, Antônio Vieira de Abreu Filho, Arlei Luiz Covatti, Diogo Fernandes da Conceição, Genivaldo Aires da CruzHeron Teixeira Pena Vieira, Ícaro Nathan Santos Ferreira, Jairo Papa da Silva, Jonathan Carvalho de Santana, Jorge Rodrigo Martins, Leandro Cardoso, Marcos Antônio da Cruz Santos, Thiago Satiro Albino, Tulio Aquino Monteiro da Costa, Vitor Augusto Carvalho Martins, Wesley Silva de Oliveira, Paulo Cesar da Silva e o segurança particular Ruiter Cândido da Silva.

 

Em vez de prender criminosos, Ruiter e os militares passaram a objetivar matar os supostos ‘bandidos’, como forma de promover seus nomes e os batalhões em que estavam lotados

De acordo com a denúncia, o grupo agia através da ajuda de Ruiter, que  era o responsável por “selecionar” as pessoas que seriam mortas.

 

Ele cooptava indivíduos dispostos a praticarem um delito patrimonial e os convencia de que seria um crime fácil e lucrativo. Inclusive, em alguns casos se dizia segurança do local e que facilitaria o roubo.

 

Entretanto, conforme a denúncia, tudo era armação. Ele conduzia os supostos criminosos para um local onde os policiais aguardavam para interceptá-los. Ali, simulavam um confronto para executar as vítimas, diz o MPE.

 

“Em todos os casos, verifica-se que o responsável por selecionar as pessoas que seriam mortas (ditos ‘malas’) as escolhia a esmo e de acordo com suas impressões pessoais, e que os policiais militares envolvidos direta ou indiretamente nos homicídios sequer sabiam quem estava sendo executado”, diz trecho da denúncia.

 

Conforme a denúncia, as combinações entre Ruiter com integrantes da Polícia Militar teve início após um assalto ocorrido na residência do sogro dele e irmão de um coronel da PM.

 

“A partir de então o denunciando foi apresentado a policiais militares para ajudar na identificação de autores de crimes, vez que transitava bem entre criminosos e, com o tempo, passou a ser orientado a se infiltrar no meio para repassar informações às ditas inteligências das unidades especializadas da Polícia Militar e a instigar indivíduos a cometerem crimes, a fim de serem impedidos pelos agentes de segurança pública, gerando assim, produtividade, respeito e promoções no meio policial”, diz trecho da denúncia.

 

“Conforme relatado, em dado momento a finalidade dessa parceria começou a mudar. Em vez de prender criminosos, Ruiter e os militares passaram a objetivar matar os supostos ‘bandidos’, como forma de promover seus nomes e os batalhões em que estavam lotados”, diz outro trecho da denúncia .

 

Ainda de acordo com a denúncia, ao ser interrogado, Ruiter confessou a condição de cooptador e confirmou as suspeitas de que essas situações eram ‘armadas’ em conjunto com policiais militares, visando arrebatar indivíduos com ou sem passagens criminais. 

 

Morte de Mayk

 

O homicídio contra Mayk e as tentativas de homicídio contra Rômulo e mais duas pessoas, conforme o MPE, ocorreu em 25 de maio de 2020, no Coxipó do Ouro.

 

Conforme a denúncia, Ruiter contatou Valmir de Souza Oliveira, que seria comparsa de um certo José Luiz da Costa, conhecido como “Seu Zé”, para praticarem um roubo a uma mineradora, onde haveria valores e ouro para serem subtraídos.

 

De acordo com o planejado, Ruiter ficou de se encontrar com os “comparsas” no ponto final do bairro Três Barras, de onde seguiria em um Gol, de cor branca, guiando os demais, que estavam em uma Strada e uma caminhonete Hilux.

 

A eficiência da polícia é dimensionada pela capacidade de evitar que os crimes aconteçam, e não pelo número de pessoas que ela mata

No local marcado,  vários policiais militares abriram fogo pesado contra a Strada, vindo a matar o motorista (Mayk), enquanto o passageiro (vítima desconhecida), desembarcou do carro e conseguiu fugir embrenhando-se pelo mato.

 

Nesse ínterim, a caminhonete Hilux deu meia volta e evadiu-se do local, mas interceptada logo à frente pelos policiais militares que estavam escondidos no mato, os quais passaram a disparar contra o carro, que conseguiu passar e foi abandonado logo adiante, tendo seus ocupantes fugido pelo mato.

 

“Embora não se saiba a quantidade e a identidade de todos que estavam na Hilux, a investigação policial apurou que, no mínimo, havia dois indivíduos no veículo, sendo um destes a pessoa de Rômulo Silva Santos, que ocupava o banco do passageiro, foi atingido por disparo de arma de fogo, vindo a perder metade do dedo, cujo pedaço foi encontrado no local”.

 

“Sangria desenfreada”

 

Ainda na denúncia, os promotores afimaram que salta aos olhos a escalada da letalidade nas intervenções policiais militares na região metropolitana de Cuiabá e Várzea Grande.

 

Conforme eles,  em 2023 mais de um a cada três homicídios foram cometidos por policiais militares.

 

“Situação que torna urgente e necessária a atuação do Sistema de Justiça no sentido de estancar a sangria desenfreada e que mira setores específicos da sociedade, jovens que habitam as periferias, em geral marcados pela cor da pele e pela condição social de pobreza”, escreveram.

 

“A eficiência da polícia é dimensionada pela capacidade de evitar que os crimes aconteçam, e não pelo número de pessoas que ela mata. Polícia que mata é polícia ineficiente. Uma análise detida aos registros da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) demonstra uma escalada exponencial de mortes decorrentes de intervenção policial militar, em relação aos homicídios catalogados na região metropolitana de Cuiabá e Várzea Grande, ao longo dos últimos anos, num incremento estarrecedor e indicativo da falta de controle e da ineficiência de parte do aparato policial”, pontuaram.





Fonte: Mídianews

Judiciario

Júri condena empresário que matou esposa e queimou o corpo

Published

on


O empresário Abinadab Costa Morais foi condenado nesta semana a 20 anos e dois meses por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver em Colniza (1.042 km de Cuiabá).

 

O crime aconteceu no dia 23 de abril de 2022, por volta das 23h, na residência do casal. A vítima, Ângela Rocha Pereira, foi atingida por 14 golpes de faca após uma discussão.

 

Além da qualificadora do feminicídio, os jurados entenderam que o crime foi cometido com emprego de meio cruel.

 

Houve ainda a agravante do crime ter sido praticado na presença da filha do casal de apenas dois anos de idade.

De acordo com o promotor de Justiça substituto Bruno Barros Pereira, réu e vítima viviam em união estável. 

Consta na denúncia, que após o crime o réu colocou o corpo da vítima no interior do carro, levou até o lixão da cidade e ateou fogo a fim de ocultar as provas.

 

A cena do crime também foi alterada, porém, foram localizadas manchas de sangue no teto do quarto do casal.

 

Na época do crime, a Polícia afirmou que ele planejava fugir para os Estados Unidos. 

O réu está preso e não poderá recorrer da sentença em liberdade.

 

Leia mais:

 

Suspeito de matar e jogar esposa em lixão no interior é preso em VG

 

Acusado de matar a esposa planeja fuga para os EUA, diz Polícia

 

Mulher é morta a facadas e corpo é jogado em lixão de MT

 





Fonte: Mídianews

Continue Reading

Judiciario

Seminário de Formação Técnica sobre Gestão da Saúde começa na segunda-feira (15)

Published

on


Começa na segunda-feira (15), o Seminário de Formação Técnica sobre Gestão da Saúde nos Municípios de Mato Grosso, evento realizado pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), Escola de Saúde Pública de Mato Grosso (ESP-MT) e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems). 

 

O Seminário vai capacitar gestores e profissionais da saúde sobre gestão financeira e prestação de contas dos recursos públicos no segmento.

 

O seminário acontece na no auditório da Escola Superior de Contas (ESC) e segue até sexta-feira (19). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas clicando aqui.

 

Diante dos desafios enfrentados pelo setor, o presidente do TCE-MT, conselheiro Sérgio Ricardo, ressaltou a necessidade da capacitação contínua. “O TCE-MT vem orientando os gestores sobre boas práticas, para que possam investir os recursos de uma forma mais eficiente e garantir o atendimento à população.”

 

Ciente da importância da boa gestão da saúde nos municípios, o presidente da Comissão Permanente de Saúde, Previdência e Assistência Social do Tribunal, conselheiro Guilherme Antonio Maluf, reforçou o convite junto aos servidores e gestores do segmento.

 

“Junto com a Associação dos Municípios, o TCE sabe das reais necessidades do bom gerenciamento da saúde nos municípios mato-grossenses. E por isso, convidamos os profissionais que trabalham com a saúde pública para participar conosco desse evento que trará temas importantes na gestão da Saúde.”

 

Para o presidente da AMM, Leonardo Bortolin, a gestão em saúde ainda é um desafio para os municípios, considerando a complexidade do setor e alta demanda pelos serviços.

 

“A legislação é bastante rigorosa e é necessário que os agentes públicos estejam preparados para atender as exigências e executar ações de forma planejada e eficiente. Durante o evento, os prefeitos e técnicos participantes terão a oportunidade de esclarecer dúvidas com especialistas para que possam fazer ajustes na gestão e implementar novas estratégias de atuação”, frisou.

 

Também são parceiros na realização do Seminário, o Ministério da Saúde (MS) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

 

Programação

 

Intitulada “Gestão e Fiscalização de Contratos Administrativos”, a palestra de abertura do evento será ministrada pelo secretário de Gabinete de Inovação e Transformação Digital do TCE-MT, Nilson Bezerra.

 

A programação ainda abordará temas como “Painel de Sistemas de Informação em Saúde: Ferramentas para Tomada de Decisão”, debatido pelo superintendente de Atenção à Saúde da SES, Diógenes Marcondes, e representante técnico do Cosems. Já a contadora Waldna Fraga Silva abordará as “Orientações Técnicas da AMM para Alcance do Índice Municipal de Qualidade da Saúde para o IPM/ICMA”.

 

Representando a ESP-MT, o professor Themistócles Alves falará sobre o “Processo Licitatório na Saúde (Entendimento Contábil Operacional)”. E para encerrar o evento, o secretário Executivo do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Guimarães Junqueira, tratará sobre “Orientações Contábeis sobre Saldo em Contas”.

 

O Seminário tem como público-alvo prefeitos, secretários municipais de saúde, diretores de saúde e de unidades de saúde, gestores de Sistemas do Sistema Único de Saúde (SUS), gestores de unidades de saúde conveniadas ou com cooperação técnica com o Poder Público Municipal e consórcios intermunicipais de Saúde. 

A participação garante certificado de 40 horas. Clique aqui e confira a programação completa.

* Aviso de privacidade: Conforme o disposto no artigo 6º, VI, da LGPD, o TCE-MT informa que prestará apenas apoio institucional ao evento, não sendo o responsável pelo controle ou operação de dados.





Fonte: Mídianews

Continue Reading

Judiciario

Mais 16 municípios são capacitados pelo TCE-MT para utilização do Programa

Published

on


O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) concluiu nesta sexta-feira (12), a 19ª capacitação voltada para a utilização do Programa de Gerenciamento do Planejamento Estratégico (GPE), plataforma de monitoramento e avaliação das metas estabelecidas pelas prefeituras para os próximos 12 anos.

 

Ao todo, 40 servidores de 16 municípios mato-grossenses participaram da capacitação realizada na gestão do presidente Sérgio Ricardo.

 

Segundo o subsecretário da Secretaria de Planejamento (Seplan) do TCE-MT, Guilherme de Almeida, o treinamento expõe uma gama de conhecimento voltada à técnica de trabalhar o planejamento estratégico do município.

 

“Este é um programa de excelência adotado pelo Tribunal, que visa melhorar e medir os serviços prestados pelas prefeituras à população, em áreas como saúde, educação, infraestrutura e meio ambiente. Ou seja, uma ferramenta fundamental para o aproveitamento e melhoramento da gestão.”

 

Almeida ainda destacou que a capacitação já atingiu praticamente todo o estado e o TCE-MT continuará realizando constantes atualizações do programa, no intuito de manter a qualidade do planejamento estratégico.

 

“Essa é a 19ª turma que já treinamos aqui no Tribunal, abrangendo mais de 100 municípios, o que significa que quase todo estado já foi contemplado. E já estamos nos preparando para a próxima edição, que deve ocorrer em agosto.”

 

A capacitação teve duração de dois dias e ocorreu nas salas 1 e 2, da Escola Superior de Contas (ESC).

 

O treinamento foi voltado para gestores e servidores das cidades de Vila Bela da Santíssima Trindade, Canabrava do Norte, Juscimeira, Vila Rica, Nova Mutum, Nova Marilândia, Nortelândia, Reserva do Cabaçal, Rondonópolis,Terra Nova do Norte, Claudia, Nobres, Vera, Diamantino, Aripuanã e Dom Aquino.

 

Melhoria na gestão municipal

 

Participantes da capacitação avaliaram o GPE, como uma plataforma de extrema importância para a gestão municipal, refletindo diretamente na qualidade dos serviços prestados à população.

 

Uma das servidoras presentes na capacitação, a secretária de Administração de Vila Rica, Daiane Rickowski, conta que duas equipes da pasta já haviam participado de edições anteriores do treinamento, mas ela sentiu a necessidade de também se capacitar para melhor aproveitamento do GPE.

 

“Eu vi que realmente estava faltando a gente implantar o planejamento estratégico em Vila Rica. E o Tribunal de Contas nos deu essa oportunidade. Nós podemos alimentar o sistema com as informações referentes ao Município, ajudar o gestor atual e os próximos nas tomadas de decisões. O GPE nos serve como norteador. Parabéns ao TCE pela iniciativa.”

 

Servidor do setor de Controle Interno da Prefeitura de Nova Mutum, Giovani Firmino, diz que já conhecia o GPE, porém não tinha conhecimento para operá-lo. Salientou que a partir da capacitação poderá contribuir nas tomadas de decisões contribuindo assim, com o aprimoramento da gestão municipal.

 

“É importante salientar que a administração pública está deixando de ser burocrática, partindo para uma administração gerencial. E o Tribunal de Contas vem realizando um importante papel nessa questão, com a sugestão da implementação do planejamento estratégico. O GPE funcionará como a espinha dorsal da gestão, apontando para qual rumo o município deve seguir e sendo fundamental para o gestor nas tomadas de decisões.”

 

A coordenadora municipal Geral da Secretaria de Educação de Dom Aquino, Vanderlucya Ferreira de Carvalho, já havia participado de lives para tirar dúvidas sobre o GPE, o que alimentou o desejo de participar presencialmente da capacitação.

 

“É um momento muito válido, onde nós podemos tirar as dúvidas. Vi muitas situações em que pensei estar fazendo o correto dentro da ferramenta, mas estava cometendo equívocos. Lamento os demais servidores do município não estarem aqui, pois é uma oportunidade ímpar. Por outro lado, terei a honra de repassar todos os aprendizados a eles.”





Fonte: Mídianews

Continue Reading

As mais lidas da semana