Várzea Grande

População reconhece melhora no abastecimento de água em Várzea Grande

Published

on


“Hoje tenho água todo dia. Antes a briga aqui em casa era para economizar água e não deixar acabar, hoje a briga é pra ver quem vai lavar a louça”, brinca a dona de casa Maria Aparecida Pereira, moradora do bairro Maringá I. A experiência dela é resultado do investimento de R$ 200 milhões realizado no saneamento, em Várzea Grande, e é compartilhada por moradores de outras regiões do município.

Gabriela Oliveira Lima, moradora há três anos e meio no Chapéu do Sol, conta que já ficou até dez dias direto sem água e só ouvia dizer que a situação só iria melhorar quando a ETA Chapéu do Sol fosse entregue. “Além de ficar até dez dias, a água vinha sem pressão. Hoje, ainda temos uma intermitência de até dois dias, mas a água vem com pressão”.

Moradora do Distrito de Bonsucesso há 59 anos, Valdenil da Silva Santos, lembra que não havia água encanada, a água vinha direto do rio, trazida pelos irmãos mais velhos. Foi criada assim. Quando a água passou a ser encanada, o líquido tinha gosto ruim e era meio ‘ferruginoso’. “A qualidade da água só mudou com a construção da ETA de Bonsucesso que hoje nos traz uma água potável”.

Lucimar Rogério Batista, morador há 45 anos da cidade e morador do José Carlos Guimarães, tem uma lanchonete na localidade e lembra dos inúmeros problemas que enfrentou com a falta de água. “A ETA do Chapéu do Sol melhorou nosso fornecimento, já temos uma entrega de água dia sim, dia não. Água é essencial, não temos como ficar sem. Pouco a pouco está melhorando, sendo resolvido”.

Ezequiel do Nascimento, do bairro Luiz Gonzaga, no grande São Mateus, confirma a transformação do fornecimento de água. Morador da localidade há oito anos, hoje ele recebe água dia sim, dia não, “a água vem forte, é uma benção”. Ficou para trás um passado recente de água uma ou duas vezes na semana. “Melhorou 100%. Hoje se falta é porque tem algum vazamento, pois a água vem bem forte”.

A força da água, como conta Ezequiel, produz o aumento da pressão nas tubulações, e como a rede é antiga, cede em alguns pontos, e a solução é realizar mais investimentos para resolver os vazamentos e desperdícios. O prefeito Kalil Baracat (MDB) reconhece que mesmo com investimentos jamais vistos na cidade, mais precisará ser feito para solucionar a questão da água. “É um desafio que está sendo vencido. Esta nova etapa de investimentos no saneamento de Várzea Grande já está em plena execução, para melhorar a distribuição da água por meio da recuperação e ampliação de redes e hidrometração. Existem encanamentos operando na cidade que são da época da minha avó, a prefeita Sarita Baracat. É dessa maneira que nós vamos resolver, definitivamente, o problema de água na cidade Várzea Grande”.

Saneamento – Em 2021 foi entregue a Estação de Tratamento de Água do Cristo Rei. Já em 2023 foi a ETA Barra do Pari. A terceira estação é a Imigrantes, que será entregue ainda este ano, passando de duas para cinco estações de captação e tratamento de água, localizadas em pontos estratégicos da cidade. A Estação de Tratamento de Esgoto Santa Maria II também está em fase de construção, e será entregue ainda este ano. Várzea Grande também realizou a troca de mais de 25 quilômetros em tubulações modernas e mais resistentes, e realizou mais de 5 mil novas ligações de água.





Várzea Grande

Zelo e esforço interno driblam queda de repasses e ampliam receita própria em VG

Published

on


A evolução da receita tributária de Várzea Grande, também chamada de receita própria, vem se destacando ao longo dos últimos três anos na gestão do MDB e garantindo investimentos em áreas essenciais para a cidade. A receita própria é aquela gerada pelos tributos municipais, por meio da quitação do IPTU, ITBI, taxas e do ISS. São recursos que vão diretamente pro Tesouro e são utilizados em obras, serviços e ações.

Somente em 2023, conforme dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a receita própria de Várzea Grande somou R$ 260 milhões, dos quais, 39% vieram do ISS, 28,5% do IPTU e 7% do ITBI.

“As finanças municipais estão equilibradas, com constante crescimento das receitas tributárias municipais nos últimos dez anos. Destaque para o ISS e ITBI que crescem acima das demais receitas, confirmando que os setores de serviços, comércio, construção civil e incorporação imobiliária apresentam crescimento acima dos demais segmentos econômicos”, pontua o economista e consultor Vivaldo Lopes.

No rol da receita tributária várzea-grande, no período de 2021 a 2023 – cujo os exercícios fiscais e financeiros estão consolidados – o ISS é o tributo com a maior expansão, dobrando a receita. Cresceu 57,37%, passando de R$ 61,35 milhões para R$ 96,85 milhões.

O IPTU registra variação positiva de 22,58%, totalizando no ano passado receita de R$ 38,39 milhões ante 31,81 milhões em 2021. O ITBI cresceu 6,7%, passando de R$ 17,71 milhões para R$ 18,14 milhões.

“É importante destacar a evolução da nossa receita tributária, que chamamos também de receita própria, que é a responsável por financiar grande parte das obras e serviços que trazemos para Várzea Grande. Lançamos mão de tudo que foi possível dentro da legislação para ampliar nossa base de contribuintes e trazer os inadimplentes para regularização. Essa foi nossa estratégia para driblar a perda de recursos federais e estaduais que vinha se agigantando diante de nós desde meados de 2022, como consequência da pandemia. E esse dinheiro que entra com o pagamento de impostos é tratado com zelo e transparência. Esses recursos do caixa próprio, por exemplo estão custeando a ETA Imigrantes que vamos entregar ainda neste ano. Nossa gestão está repleta de grandes avanços”, frisou o prefeito Kalil Baracat.

Ainda conforme o emedebista, esse esforço interno em criar meios de agregar receita foi tão exitoso que não apenas reduziu o impacto da retração de repasses como possibilitou o crescimento da receita própria. “Eu só tenho que agradecer ao corpo contábil e à equipe tributária pela dedicação em apontar soluções para não ficarmos no vermelho. Nosso saldo reflete uma dobradinha de esforço fiscal interno com a oferta de condições inéditas para flexibilizar o pagamento de dívidas dos contribuintes junto ao Fisco municipal”, explicou.

O prefeito disse ainda que a Secretaria de Gestão Fazendária tem uma responsabilidade muito grande na arrecadação do Município e cada vez se empenha em ampliar a receita com justiça fiscal. “Nossa arrecadação cresce na medida em que a prefeitura executa e entrega obras que melhoram a qualidade de vida da população. Aqui prestamos conta de recursos. Mas no dia a dia, todos podem conferir: revertermos os valores pagos em projetos e ações, e priorizarmos áreas essenciais como saúde, educação e mobilidade. Quanto mais a gente comprova o trabalho, mais o contribuinte se conscientiza de sua importância na geração de receita própria à cidade”, comemorou o prefeito.





Continue Reading

Várzea Grande

Várzea Grande aplica 13% da receita corrente em investimentos no município

Published

on


A gestão do MDB, em Várzea Grande, encerrou o exercício 2023 aplicando 13,2% receita corrente líquida em novas obras de infraestrutura econômica e social, conforme dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Conforme a revista Multicidades, que trata das Finanças dos Municípios do Brasil, publicada pela Frente Nacional dos Prefeitos, o percentual aplicado em investimentos pela gestão do MDB, em Várzea Grande – 13,2% – ficou acima dos 11,9% investidos pelos 100 maiores municípios brasileiros.

Ampliando a análise, entre 2021 a 2023, a foram aplicados no Município mais de R$ 452 milhões, sendo que 52,9% desse montante vieram de recursos próprios, ou seja, da receita gerada com o pagamento de impostos e taxas municipais, como IPTU, ITBI e ISS.

“O contribuinte vê que o imposto pago é revertido em benefícios para toda cidade, para a coletividade. Fazemos uma gestão que trata os recursos próprios com zelo e por isso, mesmo que haja dificuldades, como enfrentamos no início da nossa gestão, como foi a pandemia e queda nos repasses constitucionais, mantivemos o ritmo de trabalho, os cronogramas e muitas realizações até aqui. Aliás, superamos metas em infraestrutura, como por exemplo, em relação à pavimentação asfáltica. Eram 200km nessa gestão, mas em abril já tínhamos entregue 250km e vamos fechar o ano com 300 km”, comemora o prefeito Kalil Baracat.

Outro dado em destaque, em relação às finanças municipais, é a Capacidade de Pagamento (Capag) de Várzea Grande é B, segundo classificação da STN, em escala que vai de A a D. Com essa classificação, Várzea Grande pode tomar empréstimos bancários para investimentos, dando como garantia suas próprias receitas. “Despesas de custeio crescem abaixo das receitas, indicando boa gestão fiscal”.

OS INVESTIMENTOS – O prefeito Kalil Baracat frisa que ao longo de sua gestão a questão da água, que embute todo arcabouço do saneamento básico, foi prioridade zero. E os investimentos compravam o tratamento prioritário que a pauta recebeu nos últimos anos. Dos mais de R$ 452 milhões em investimentos realizados nos exercícios 2021, 2022 e 2023, pouco mais de R$ 200 milhões foram destinados apenas para o saneamento básico, focado na construção de três Estações de Tratamento de Água (ETA’s) – uma a ser entregue ainda este ano – uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a troca da rede de distribuição por tubulações mais modernas.

“É o maior investimento em saneamento básico da história de Várzea Grande. E com muito orgulho, por ser filho dessa terra, digo: fui o prefeito que mais investiu em saneamento básico na cidade”, reforçou Kalil.

Entre os investimentos, estão a entrega da primeira maternidade pública da cidade. A criação de mais de 7 mil novas vagas na rede pública municipal de educação básica, implantação do passe livre, reforma e ampliação de quase 100% das unidades escolares, reforma das 25 unidades de saúde, reforma, ampliação e aquisição de modernos equipamentos para o pronto-socorro municipal, recapeamento de quase 200km de ruas e avenidas, reformas e construção de praças, apoio à agricultura familiar, ordem de serviço para construção da rodoviária da cidade e novo mercado municipal e mais recentemente, o anúncio de construção da sede própria da primeira maternidade pública de Várzea Grande, que seguirá atendendo 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 





Continue Reading

Várzea Grande

Em Várzea Grande, serviço pioneiro acolhe e empodera mulheres

Published

on


A Casa de Sarita é referência para o Estado no acolhimento de mulheres e meninas em situação de vulnerabilidade social e econômica, bem como para aquelas atendidas pela Rede de Proteção ao Combate à Violência contra a Mulher, em Várzea Grande. Com pouco mais de um ano de existência, já soma mais de 11,5 mil atendimentos gratuitos.

O espaço traz em seu nome, uma homenagem à avó do prefeito Kalil Baracat (MDB), que foi prefeita de Várzea Grande, e a primeira Chefe do Executivo Municipal da cidade, na década de 1960. E as mulheres são acolhidas por livre demanda, na unidade localizada na Av. Presidente Artur Bernardes, na Vila Ipase. O trabalho multisetorial de excelência realizado no local, atraiu gestores de outros municípios de Mato Grosso interessados em replicar o sucesso, a exemplo do prefeito de Sorriso, Ari Lafin.

Entre as acolhidas está Cleusa de Paula, vítima de violência doméstica. Sofreu por mais de duas décadas calada “achando que era culpada e que não tinha o direito de viver. Eu não me olhava mais no espelho, eu não me reconhecia mais. Até que uma amiga me falou da Casa de Sarita e eu vim ver e tive um acolhimento maravilhoso”.

Como faz questão de contar, ela encontrou na Casa de Sarita a força que precisava para dar a volta por cima. “Conversei com a psicóloga, iniciei terapias como acupuntura, recebi incentivo para buscar uma profissão por meio das oficinas de artesanato e culinária, eu fiz curso de gestão de empreendedorismo e hoje me olho no espelho e tenho vontade de me cuidar, de fazer um penteado, de passar um batom. Coisas que antes eu nem ligava, não tinha vontade”.

Para a dona-de-casa Kely dos Santos, que como ela mesma faz questão de dizer, o espaço foi uma oportunidade de se reencontrar, se redescobrir. “Eu cheguei aqui sem saber quem eu era, sem autoestima nenhuma. Só me lembro que tinha depressão e que naquele momento precisava de um abraço. E foi esse acolhimento que fez a vida se abrir e sorrir para mim novamente”, relembra. Na Casa de Sarita recebe tratamento psicológico, acompanhamento psicossocial e faz cursos. “Cheguei aqui no fundo do poço e hoje se eu pudesse não saia mais daqui. Acaba um curso, começo outro”, confessa sorridente.
Elas não estão sozinhas nessa caminhada de resgates. “A Meyre que chegou aqui era uma Meyre que se enchia de remédios, que não saia da cama. Era triste, que não conseguia dormir. Cheguei aqui e tudo que me disseram que seria bom pra mim eu fiz, me abri pro novo e aqui está o resultado das terapias, dos florais de bach e dos cursos que faço: Uma Meyre que sente útil, feliz e com vontade de viver”, descreve Juscimeyre Batista.

Por resultados transformadores como esses é que a Casa de Sarita deixou de ser uma ação de governo para se tornar um projeto de Estado, uma oferta contínua de serviços, independentemente das novas gestões que vieram. Ainda em 2023, o Executivo Municipal enviou à Câmara Municipal um projeto de Lei que garante personalidade jurídica à Casa de Sarita. Em outras palavras, o espaço seguirá funcionando e mantendo esta estrutura de atendimento e de acolhimento, como um serviço permanente garantido em lei.

Idealizada pela primeira-dama de Várzea Grande, a promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat, o espaço soma mais de 11.500 atendimentos em diversas áreas desde as práticas terapêuticas – como acupuntura, auriculoterapia e reiki -, passando pelo acolhimento/atendimento psicológico, encaminhamento para delegacia em situações de violência, direcionamento para cursos profissionalizantes em diversas áreas e práticas desportivas como pilates, atividade funcional e hidroginástica. A Casa de Sarita ainda capacitou, por meio das oficinas de Gastronomia e de Empreendedorismo, 1.372 mulheres.

Acesso ao serviço

Além do atendimento em livre demanda, as mulheres são encaminhadas pelos Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), associações parceiras, pelo Poder Judiciário, pela Delegacia da Mulher, pelo Ministério Público e entidades do terceiro setor que atendam mulheres que estejam em estado de vulnerabilidade social, e que necessitem de apoio e suporte do município.
A inclusão no serviço será concretizada após a realização de avaliação multidisciplinar e atendimento psicossocial pela equipe técnica de referência, identificando principalmente aquelas mulheres e meninas que não possuem acesso às políticas públicas e sociais e que se encontram em situação de risco, vulnerabilidade social, econômica e comunitária. É imprescindível que a mulher/adolescente atenda aos critérios estabelecidos pela Política Nacional de Assistência Social (PNAS).





Continue Reading

As mais lidas da semana