Polícia

Em uma semana, forças de segurança de MT apreendem R$ 14 milhões em drogas e fazem prisões em três estados

Published

on


O trabalho de repressão das forças de segurança de Mato Grosso ao crime organizado resultou na apreensão de R$ 14 milhões em drogas na última semana do mês de junho. As operações também envolveram prisões em outros três estados.

“Esse resultado do trabalho dos policiais mato-grossenses vem comprovar, mais uma vez, que o enfrentamento é forte não somente nas ruas, na presença ostensiva como forma de intimidar as práticas criminosas, mas na produção de provas com investigações que garantem mandados de prisões e condenações”, destaca o secretário de Segurança Pública de Mato Grosso, coronel PM César Roveri.

Exemplo do trabalho de repressão contínua é a Operação Maximus, realizada no dia 25 de junho para cumprimento de 39 ordens judiciais contra uma associação criminosa de tráfico de drogas. Além de Mato Grosso, o enfrentamento gerou prisões em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

“Somente nessa operação, atuaram policiais civis de cinco delegacias, em cinco cidades mato-grossenses, e nossa parceria com outras forças policiais possibilitou prisões de integrantes de facções”, observa o secretário.

Roveri lembra que Mato Grosso também atua em apoio a outros estados, como foi o caso da Operação Escudo Virtual, da Polícia Civil do Ceará. No dia 26 de junho, equipes da PJC mato-grossense cumpriram sete ordens judiciais contra um grupo criminoso voltado para realização de golpes e fraudes financeiras. Essa ação foi deflagrada pela polícia cearense na cidade de Jucás, a 400km da capital Fortaleza.

Drogas

O prejuízo estimado ao crime organizado, de R$ 14 milhões, com a retirada de drogas de circulação, tem como base apreensões decorrentes de operações das Polícias Militar, Civil e do Grupo Especial de Fronteira (Gefron).

Na quinta-feira (27), a PJC apreendeu 122 quilos de cloridrato de cocaína, avaliados em mais de R$ 10 milhões, durante os trabalhos da Operação Carga Pesada, deflagrada em Barra do Garças para cumprimento de mandados para apreensão de veículos.

No mesmo dia, a Polícia Civil também desmontou um laboratório do tráfico de drogas instalado em uma residência no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá, em mais uma fase da Operação Zona Quente, da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

Além da apreensão de grande quantidade de entorpecente, entre maconha, skunk (supermaconha) e haxixe, a ação resultou na prisão em flagrante de dois homens, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

No município de Sapezal (480 km de Cuiabá), no dia 24, a Polícia Militar, em ação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal, também já havia apreendido 129 tabletes de pasta base e cocaína, avaliados em R$ 2,8 milhões. As apreensões também foram realizadas em outros municípios do Estado, como Cuiabá e Rosário Oeste.

Já no dia 25, o Gefron apreendeu 91,8 kg de drogas, avaliados em R$ 600 mil, em Cáceres (220 km de Cuiabá).

“As forças de segurança de Mato Grosso já demonstraram que o Estado tem tolerância zero ao crime organizado e seguem empenhadas na repressão aos crimes”, ressalta o secretário de Segurança.





Polícia

Academia da Polícia Civil capacita 2.513 servidores no primeiro semestre deste ano

Published

on


A Academia da Polícia Civil de Mato Grosso (Acadepol) capacitou neste primeiro semestre do ano 2.513 servidores da instituição em diversas áreas de formação, que vão de técnicas de inteligência à operação de armamentos e instruções de tiro. O aumento no número de servidores qualificados foi de 341% em comparação com o mesmo período do ano passado.

O diretor da Acadepol, delegado Fausto Freitas, avalia que o número de servidores qualificados amplia a qualidade dos trabalhos investigativos e operacionais, a exemplo do número de policiais nos cursos sobre investigação e inteligência, com 707 participantes.

“A Academia tem investido na formação contínua de nossos policiais para fortalecer diariamente a preparação trazendo conteúdos alinhados às necessidades diante das demandas investigativas, como, por exemplo, na apuração sobre crimes financeiros, cibernéticos, de estelionatos, entre outros”, destacou o diretor.

Entre os cursos de formação da academia está o de Operador de Mandado de Alto Risco (Comar), que capacitou no primeiro semestre 116 policiais. O curso qualifica o policial civil a operar em ocorrências, especialmente nos cumprimentos de mandado de busca e apreensão e prisões de alto risco, com segurança e eficiência das ações.

“A ideia é aumentar o grau de comprometimento e confiança, a partir do conhecimento adquirido, a fim de que cada ação tenha o resultado final alcançado nas operações”, acrescentou o delegado Fausto Freitas.

Operadores de drones

A Acadepol capacitou 321 policiais na operação de aeronaves não-tripuladas. O uso dos drones faz parte da modernização tecnológica desenvolvida pela Polícia Civil de Mato Grosso como ferramenta essencial nas ações investigativas.

O curso de Habilitação Básica de Piloto de Sistema de Aeronave não Tripulada oferece aos policiais o treinamento necessário para operar esses dispositivos de forma eficaz e segura. O curso foi levado a diversas regionais da Polícia Civil.

Tiro e armamento

Em instrução de armamento e tiro, a Acadepol capacitou 307 policiais para melhoria das habilidades e reforço dos procedimentos de segurança e aprimoramento das técnicas, essenciais para garantir que os agentes estejam bem preparados na execução das atividades operacionais. No manuseio de armas não-letais foram qualificados 311 profissionais.

Já nos cursos de Ensino à Distância, a academia capacitou 675 servidores, parte deles realizados em parceria com a Polícia Civil de Minas Gerais.

Fonte: Policia Civil MT – MT





Continue Reading

Polícia

PARA DOMINGO – Academia da Polícia Civil capacita 2.513 servidores no primeiro semestre deste ano

Published

on


A Academia da Polícia Civil de Mato Grosso (Acadepol) capacitou neste primeiro semestre do ano 2.513 servidores da instituição em diversas áreas de formação, que vão de técnicas de inteligência à operação de armamentos e instruções de tiro. O aumento no número de servidores qualificados foi de 341% em comparação com o mesmo período do ano passado.

O diretor da Acadepol, delegado Fausto Freitas, avalia que o número de servidores qualificados amplia a qualidade dos trabalhos investigativos e operacionais, a exemplo do número de policiais nos cursos sobre investigação e inteligência, com 707 participantes.

“A Academia tem investido na formação contínua de nossos policiais para fortalecer diariamente a preparação trazendo conteúdos alinhados às necessidades diante das demandas investigativas, como, por exemplo, na apuração sobre crimes financeiros, cibernéticos, de estelionatos, entre outros”, destacou o diretor.

Entre os cursos de formação da academia está o de Operador de Mandado de Alto Risco (Comar), que capacitou no primeiro semestre 116 policiais. O curso qualifica o policial civil a operar em ocorrências, especialmente nos cumprimentos de mandado de busca e apreensão e prisões de alto risco, com segurança e eficiência das ações.

“A ideia é aumentar o grau de comprometimento e confiança, a partir do conhecimento adquirido, a fim de que cada ação tenha o resultado final alcançado nas operações”, acrescentou o delegado Fausto Freitas.

Operadores de drones

A Acadepol capacitou 321 policiais na operação de aeronaves não-tripuladas. O uso dos drones faz parte da modernização tecnológica desenvolvida pela Polícia Civil de Mato Grosso como ferramenta essencial nas ações investigativas.

O curso de Habilitação Básica de Piloto de Sistema de Aeronave não Tripulada oferece aos policiais o treinamento necessário para operar esses dispositivos de forma eficaz e segura. O curso foi levado a diversas regionais da Polícia Civil.

Tiro e armamento

Em instrução de armamento e tiro, a Acadepol capacitou 307 policiais para melhoria das habilidades e reforço dos procedimentos de segurança e aprimoramento das técnicas, essenciais para garantir que os agentes estejam bem preparados na execução das atividades operacionais. No manuseio de armas não-letais foram qualificados 311 profissionais.

Já nos cursos de Ensino à Distância, a academia capacitou 675 servidores, parte deles realizados em parceria com a Polícia Civil de Minas Gerais.

Fonte: Policia Civil MT – MT





Continue Reading

Polícia

Polícia Civil prende investigado por tráfico em flagrante com R$ 6,5 mil e 43 cestas básicas

Published

on


Policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Primavera do Leste prenderam em flagrante, nesta sexta-feira (19.07), um suspeito por tráfico de drogas durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão contra o investigado. Na casa, os policiais localizaram entorpecentes, R$ 6,5 mil e 43 cestas básicas.

J.A.M., de 33 anos, já vinha sendo investigado pela delegacia especializada por suspeita de integrar uma organização criminosa e ser um dos responsáveis pelo tráfico de drogas na região.

Na residência, onde estavam a companheira dele e uma criança de dois anos, os policiais apreenderam 56 porções de maconha, outras oito de pasta base e de cocaína em pó; R$ 6.540,00, balanças de precisão e embalagens para comercializar a ddrogs. As cestas básicas continham alimentos e materiais de limpeza. Parte da droga foi encontrada enterrada no quintal da residência.

O investigado foi conduzido à delegacia, onde foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

O delegado Rodolpho Bandeira explicou que representou ao Poder Judiciário pela doação das cestas básicas a instituições beneficentes do município.

“Criminosos usam do assistencialismo como tática para se aproximarem da população e ganhar a confiança de moradores, uma atitude prejudicial, porque passa a falsa sensação de ajuda, mas acaba aproximando jovens e crianças do crime”, pontuou o delegado.

Fonte: Policia Civil MT – MT





Continue Reading

As mais lidas da semana